quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

FIZEMOS NATIVIDADE DA SERRA DIA 21/02/2010!



NATIVIDADE DA SERRA - análise de um amador.

Olá amigos, leitores e curiosos.

Os magrelenses fizeram, neste último domingo, 21/02/2010, o pedal PEDALAVALLE para NATIVIDADE DA SERRA.
Lugar muitíssimo bonito, no meio dos morros, margeando a represa de Paraibuna, com direito a duas balsas, banho de represa e subidas... muitas subidas.
Não posso nem reclamar, até porque a modalidade é Mountain Bike, o que pressupõe montanhas, subidas, morros, e outros calvários sinônimos.
O fato é que, falo por mim, cansei pra cacete! Mais do que imaginava! Não sei se foi o sol que estava de lascar, ou eu não estava num bom dia. Fazia tempo que não empurrava a bike numa subida, e teve uma subidinha no caminho que me venceu. Desci e empurrei. Não que seja algum constrangimento... nem ligo, de verdade. Mas quando começava a achar que a coisa era comigo, vi um tantão de gente empurrando. Gente que pedala bem mais do que eu, inclusive. Aí vi que o buraco era, realmente, mais embaixo.
Daí tem gente que vai ler e dizer: "sério,... achei tão tranquilo!?". E aí vale aquela máxima. Cada um sabe onde o calo aperta, certo? ;)

Nesse contexto, o passeio dividiu a galera em duas categorias:
a) Os mais apressadinhos, que, afinal, foram lá pra isso, e tomaram, antes dos atrasadinhos, a segunda balsa - mas perderam o banho de represa antes do almoço.
b) Os que apitaram, tiveram pneus furados (e graças a Deus não foi o meu), e que perderam a balsa e a esperaram voltar, e que, em contrapartida, tomaram banho de represa, que valeu como o maior dos troféus, já que o sol cozinhava miolos.

Particularmente prefiro passeios com mais paradas.
Com mais paradas descansa-se mais, e poupa-se disposição para rodar mais distância. Lembro que falo de amadores. E que trata-se de uma proposta de pedal/passeio. E tem outra: o lugar é lindíssimo!! Merecia mais apreciação.

Eu sou fã do pedal entrosado com o percurso, não somente com a chegada.
Pedal que visa a chegada é corrida.
Pedal passeio, curtição, esse é pra fazer esperando a galera. Confesso, aqui, minha vocação cicloturística.
Essa é a análise de um amador, que gosta muito de pedalar, apesar de não ser nenhum profissional.

Mas o pedal estava bacaníssimo, com bicas pra refrigeração pelo trajeto, cabras saltitantes (e aqui não falo de ciclistas efeminados), e seres bovinos espalhando adubo pelo terreno. E, apesar de castigar a carcaça, a verdade é que o sol torna toda a paisagem mais bonita! Pedal sem tombos registrados ou surpresas inesperadas, tudo correu conforme manda o figurino. Teve sim, mas isso é de praxe, pneu furado. Mas furado com anzol!!! Pra você ter uma idéia do pra que é que o pessoal da região usa a estrada!!! Esse povo é que sabe das coisas.

Espero fazer novamente esse pedal, mais descompromissadamente e descontraidamente.
O lugar é realmente especial.


Confiram aí o vídeo e as fotos:


video



Manhã cedinho. Dia lindo.


Neblina baixa.


No Parque Santos Dumont. Concentração.


Arrumando as bikes. Na foto, eu e o patrão.


A Téia e o Ishii arrumando a bike.


Vai lá Ishii! Aperta direito esse negócio!!


Duplinha sertaneja. Zé feio e Tião horroroso.


Moçadinha na VAN.


Betão e Davi.


No Fazendão, preparando para sair rumo a Natividade.


Já nas magrelas...


...e vambora!


Betão e Clayton. Aquilo na cabeça do Clayton não é nenhum adorno colocado por sua esposa: é sua filmadora. O cara é meio freelancer dos blogs de São José.


E a primeira balsa.


Téia, Ishii, eu, Clayton e Betão.


Moçada aguardando a balsa. Na sombra pelamordeDeus!


Clayton, Paulinho (outro, no caso), e eu.


A balsa chegando. Tá meio tortinha mas segurou bem o rojão.


A moçada na balsa olhando para a margem, onde estavam o Bóia e outros afetos. Eles vieram pedalando desde Paraibuna, e perderam a primeira balsa. Mas os caras têm perna. No caminho nos ultrapassaram e tomaram a segunda balsa antes de nós.


Coquinho, eu e o Betão. Escondido está o Ishii. O Davi, magrelense nato, subiu no caminhão para tirar umas fotinhas pro AMAGRELA. Daí o Sr. Adolfo (vulgo Coquinho), diretor, assessor, criador, fundador, do PEDALAVALLE, passou a máquina para o nosso repórter de plantão registrar umas ocorrências pro blog dele. Vale tudo pela audiência da galera!


Vista da represa.


Não satisfeito com as fotos do Davi, o patrão resolveu subir na caçamba também. Na foto o Coquinho e o Davi.


Ishii, Betão e eu.


Sobe negada!!


Caminho bonito mesmo.


Paradinha para fotos...


...e olha no que deu.


Lindíssima a paisagem.


As cabrinhas do Davi. Nos seguiram por boa parte do trajeto.


Galera no pedal.


E apesar do sol ter secado bem a estrada, ainda restou um ou outro ponto de lama. (Ainda bem, né Davi?)


Ishii, eu, e o povo.


Galerinha na bica. Resfriar o radiador é essencial num calorão daquele!! E tem que dar uma mijadinha também, certo?


E mais foto bonita.


Aqui o Davi estragando o cenário da represa.


E a moçada fazendo chazinho de nêgo suado na represa. Olha, tava muito bão!! Perdemos a balsa, mas ganhamos água... muita água. E rendeu um bom bate-papo.


Aqui um close. Só cabeças para fora da água.


Auto-foto do Davi, e a moçada na água.


Na balsa, depois do piscinão de ramos, a Téia e eu.


O Davi e o Betão.


E, em Natividade, o pratão de arroz, feijão, macarrão e bifão!! Fome animal!!


O cata-corno carregado. Levando o pessoal embora pro Fazendão.

Pedal bem bacana, dia muito bonito, lugar de cair o queixo. Dia muito bem aproveitado. Nos encontramos às 07:00h da manhã no Parque Santos Dumont. De Van fomos até o Fazendão, e iniciamos o pedal por volta das 08:30h. Primeira balsa com 4,8km rodados e a segunda balsa com 34,0km, já em Natividade. Chegamos por lá às 13:40h, porque perdemos a última balsa e tivemos que esperar voltar. Almoço e voltamos por Taubaté, e Dutra até São José dos Campos. Chegamos no Parque Santos Dumont às 16:00h. Dia inteiro de passeio. Muito bacana.

Valeu moçada, valeu PEDALAVALLE, valeu restaurante KAÉ (falei que ia indicar aqui no blog, e aí vai) e Alexandre da Van. A quem interessar possa, os cartões com telefones estão aí embaixo.



Abraços galera e até a próxima.


Paulinho.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

DEMOROU MAS SAIU O POST DOS PEDAIS DE CARNAVAL!!!


CARNAVAL É PEDAL!!



É moçada do pedal e simpatizantes do ramo.
Como previsto, o sol rachou, e a gente pedalou. E fizemos exatamente como informado no post anterior, com dois dias de pedal, um bem light e outro pra represa.

No domingão, 14 de fevereiro, de tarde, levei meu irmão e minha cunhada para passarem mal na estrada do Jaguari. Mentira. Meu irmão passou mal bem antes!
Saímos do Parque da Cidade (Santana) e rumamos para a estradinha de terra da Chácara São José, subimos para os trilhos, fizemos a matinha da J. Macedo (onde a pressão do meu irmão - o Fred - caiu), saímos na estrada do Jaguari, pontinha (onde minha cunhada teve um mal estar), voltamos por Altos de Santana, ciclovia da Via Norte e, novamente, Parque da Cidade, com um total de 15km pedalados. Light. Leve.
Como se não bastasse o mal súbito da Daniela, minha cunhada, a danada ainda ralou a perna na passarela da linha férrea, sobre o rio. Ficou com medo de cair... e caiu, só que pro lado da mureta. Mas ralou bem.
Bom; pedal manso, apesar dos contratempos. Fui eu, a Helena (patroa), o meu irmão Fred e a Dani (patroa dele), Davi, Betão e Aninha (o trio de irmãos), o Ishii e a Téia, e o Tony. 10 pessoas.
Mas, aos leitores que se assustaram com os episódios narrados, fica a tranquilizadora promessa da Daniela de que quer fazer nova trilha, tudo (é claro) depois que melhorar de seus ferimentos.
Serviu pro meu irmão perceber (palavras dele) que precisa de uma nova maneira de encarar as suas carências físicas, em prol de sua longevidade. Tá bom, não foi bem assim que ele disse.

E teve o pedal de terça, 16 de fevereiro, pra represa, bem bacana!
Enquanto o cidadão joseense dormia e seus rins ainda tentavam eliminar o álcool de suas entranhas - carnaval e coisa, nós nos encontrávamos às 07:00 horas da matina, em frente ao Thermas do Vale, para mais uma empreitada ciclística.
Fomos eu, a Helena, o Ishii, a Téia, o Betão, o Davi e o Tony. O Tony nos abandonou nos trilhos. Pane geral. Quebrou sua gancheira. Daí mermão, só voltando mesmo. Tony, meu querido, fica pra próxima. Estamos na dívida.
Bom, seguimos pela J. Macedo, Jaguari, até a represa, onde rolou pastel e aquela coisa toda. Voltamos pelo asfalto, Ambev, trilha dos pernilongos e, pra alongar, fizemos as abelhas, saímos no alambrado do Urbanova VI, e voltamos pro Thermas.
Deu 50km, debaixo de um sol insano!!!
Pedal muito bacana, regado a água e gel. E boa companhia, é claro!

Bom, mas chega de papo e confiram aí as fotos dos eventos:


PEDAL LIGHT - DOMINGO DIA 14/FEVEREIRO


Saída do Parque da Cidade. Concentração e ajustes.


Foto da galera pronta para o pedal.


Vila Rossi. Rumo à J. Macedo.


Estrada da Chácara São José.


Pedalando...


Linda foto! Pedalar é show mesmo.


As meninas do pedal de domingo: Helena, Téia, Daniela e Aninha.


Meu irmão, Fred, com 4km rodados. Pressão baixa e dores nas partes baixas. Mas ali ó... até o fim.


Aglomeração em frente ao "pequeno Buda".


Falaí se não é bonita a paisagem!?


Com os prédios ao fundo.


Luz do sol. Tava de lascar.


O ralado da Dani.


Téia e Ishii. Nunca vi alguém passar tanto protetor solar. Ela come com farinha!!


Davi medindo a umidade relativa do ar.


O casal "morto".


Noutro ângulo.


Moçadinha no ponto de ônibus: paradinha pra descanso.


O Tony: esse cara é um animal.


Empurra bike. No melhor estilo "que é que eu tô fazendo aqui?!"


A Dani no empurra bike.




e a VOLTA AMAGRELA para a REPRESA - TERÇA DIA 16/FEVEREIRO


video


Dia começando, neblina baixa, via Oeste.


Betão testando minha sapatilha e minha magrela.


Galera reunida para início do pedal: Ishii, Téia, Tony, Helena, Beto, eu e o Davi.


No mirante da Av. Anchieta: paisagem de tirar o chapéu!


Sol espetacular!!


Galera no mirante.


Auto foto do Davi, e Betão.




Nos trilhos, um contratempo: quebrou a gancheira da bike do nosso amigo Tony, abaixo.


Tony, feliz da vida pela gancheira quebrada. Ainda bem que foi no começo da bagaça.


Close do enguiço.


Foto dos trilhos: vai vendo!


Ishii na pontinha. Faz um jóinha pra moçada!


Galerinha gente fina.


Nóis na fita de novo.


E aqui só o espelhão d'água.


Paisagem rural.


Moçada pedalando...


...e conversando.


Subidinha: rumo às meninas.


As magrelas encostadas...


...e deitadas nas meninas.


A patroa e eu.


Betão, Ishii e eu.


Esperando o x-colesterol e o pastel de parmito com queijo...


O Davi cobrindo suas partes.


E o pastel. É gordura, mas é bão.


Os magrelenses de plantão.


Na sombra até que tava gostosinho...


...mas o sol tava de rachar!!!


Na pontinha do vertedouro: vista da represa.


Fazendo graça.


O Davi comendo maçã com creme. Ops... com creme comendo maçã.


Outra vista do vertedouro.


Fotão, hein?


Pra variar o pneu furou. E duas vezes. Mas já resolvi: espero.
Soquei joe's no flats e fita anti furo. Se não funcionar vou encher de silicone essa bosta!!!


Galerinha na trilha. Moçada sangue bom. Pergunta lá pros pernilongos!!!


Daí caiu um graveto na trilha e tivemos que parar...


...pra desviar do galhinho.




Subindo...


...e chegando na porteira.


E toca pra UNIVAP.


Pose da Téia. O dia estava realmente bonito. E quente...


...daí chegamos na UNIVAP, e não deu outra: cada um achou sua torneira. Registro aqui meus agradecimentos ao Sr. Reitor que espalhou torneiras pelo campus. Acho que a idéia dele não era bem essa... mas deu bem pra esfriar o radiador.


Olhaí a Téia, mãe de família. Situação...


Se bem que aqui o casal não tá melhor não.


E depois a chegada ao Thermas...


...com 50km rodados.

Como sempre, pessoal gente fina, dia bonito e desestressante. Cansaço físico e descanço mental.
Fica o gosto de quero mais. Esse treco vicia mesmo!
E vamos pra Natividade dia 21/02!!

Quem quiser pedalar com a gente algum dia, fica aqui o convite.
É só aparecer em local combinado, e divulgado aqui no blog.

Abraços,
Paulinho.